Translate

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

o grande mal da contracepção

LIVRO: "O GRANDE MAL DA CONTRACEPÇÃO"
Esta obra possui o "IMPRIMATUR" de Dom Pedro Fedalto.

O GRANDE MAL DA CONTRACEPÇÃO

DEDICATÓRIA
Ofereço este pequeníssimo livro a todos os que crêem que a vida é dada por Deus e o consagro a Deus-Criador.

O DOM DA VIDA
“A vida é sempre um bem”1 e é sempre dada por DEUS!
Logo no início da Bíblia está escrito: “Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher”(Gn 1,27).
Jesus afirmou que nem um passarinho cai por terra sem o consentimento do PAI. Ora, se até mesmo a vida de uma ave depende do consentimento de Deus, quanto mais então, a vida humana!
Ninguém existe por acaso, mas sim por obra divina. Mesmo que uma pessoa tenha sido gerada sem desejo ou sem amor por parte dos pais, Deus consentiu em criá-la com incomensurável amor!

A TRANSMISSÃO DA VIDA
Deus quis que o homem e a mulher participassem com Ele na missão de transmitir a vida, e para isso criou o ato sexual, ao qual conferiu duas finalidades: a unitiva – “o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher”(Gn2,24; Mt19,5) – e a procriativa – “sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra”(Gn1,28; Gn9,1).
Quando o homem e a mulher respeitam estas duas finalidades do ato conjugal, unindo-se não apenas fisicamente, mas também amorosamente e espiritualmente até que a morte os separe e aceitando todos os filhos que Deus lhes quiser confiar, surge assim uma família desejada e amada pelo Criador!
Infelizmente, nem sempre o homem e a mulher são fiéis aos planos divinos! Muitas vezes eles deixam de respeitar as finalidades que Deus uniu ao ato sexual.
Quando, por exemplo, eles se unem sem um compromisso de união fiel até a morte, estão destituindo o ato sexual da sua finalidade unitiva - “não separe o homem o que Deus uniu”(Mt19,6) – e desonrando uma coisa tão séria e maravilhosa que Deus criou para transmitir a vida e gerar uma família.

A CONTRACEPÇÃO
E quando, por exemplo, eles se unem (mesmo que tenham assumido o compromisso matrimonial) mas fecham o ato sexual ao dom da vida, usando anticoncepcionais ou outros meios contraceptivos (esterilizações, etc.), já não estão mais sendo servos fiéis e nem colaboradores de Deus na transmissão da vida, mas passam a ser "árbitros dos planos divinos", julgando-se (mesmo que não percebam isso) os únicos responsáveis pela vida e com o direito de evitar filhos "a todo custo", até mesmo destituindo o ato sexual de sua finalidade procriativa, esquecendo-se assim de que Deus é quem é o Senhor da vida!
Se de fato cremos que a vida é sempre dada por Deus, devemos reconhecer que, pelo fato de os meios contraceptivos fecharem o ato sexual à transmissão da vida, podem deste modo, estar impedindo a concepção ou o nascimento de um filho(a) que Deus quisesse dar ao casal! Somos chamados a aceitar, não a recusar ou evitar os filhos que Deus quiser nos confiar!
Deus ordenou por mais de uma vez: "sede fecundos", mas desta forma estão sendo infecundos! Estão "enterrando" o grande "talento" da fertilidade!
Quando o ato sexual é dissociado de suas finalidades unitiva e procriativa, ele tende a se tornar um ato egoísta e hedonista.
"A Igreja ensinou sempre a malícia intrínseca da contracepção, isto é, de todo o ato conjugal tornado, intencionalmente, infecundo. Deve reter-se este ensinamento como uma doutrina definitiva e irreformatável. A contracepção opõem-se gravemente à castidade matrimonial, é contrária ao bem da transmissão da vida (aspecto procriador do matrimônio) e à doação recíproca dos cônjuges (aspecto unitivo do matrimônio), lesa o verdadeiro amor e nega a função soberana de Deus na transmissão da vida humana"2
A contracepção é portanto, um mal grave e, se a pessoa que a pratica tiver plena consciência da gravidade do ato e mesmo assim, deliberadamente o pratica, incorre então em um pecado mortal que acarretará a morte eterna no inferno se não houver arrependimento3. "No entanto, mesmo podendo julgar que um ato é em si falta grave, devemos confiar o julgamento sobre as pessoas à justiça e à misericórdia de Deus"4, pois somente Ele conhece o coração e a consciência de cada pessoa. Não devemos portanto, julgar ninguém pelo fato de praticar a contracepção e nem por qualquer outra atitude, pois o próprio Jesus disse: "Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados"(Lc6,37). Não devemos nunca julgar uma pessoa, mas devemos sim, mostrar a gravidade dos atos que ela cometeu, pois Jesus disse também: "se o teu irmão pecar, mostra-lhe o pecado entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho o teu irmão. Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas. Se recusa ouvi-los, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano"(Mt18,15-17). Quando a igreja denuncia a gravidade da contracepção, não quer julgar nem condenar ninguém, mas somente revelar o mal praticado a fim de que não seja mais cometido.
Existe ainda uma realidade ainda mais terrível, que poucas pessoas tem conhecimento: quase todos os anticoncepcionais não são somente anticoncepcionais, mas são também abortivos! Isto significa que freqüentemente eles não impedem a concepção, ou seja, o início da vida, porém geralmente causam a morte do ser humano concebido durante seus primeiros dias de sua vida. Como durante os primeiros dias o ser humano é muito pequeno, a mulher nem percebe que concebeu e nem tampouco que abortou. Muitas pessoas, mesmo sem ter conhecimento disso, estão causando a morte de seus próprios filhos devido ao uso de contraceptivos abortivos! Todos os dispositivos intra-uterinos (dius) e "contraceptivos de emergência" são essencialmente abortivos; todos os hormonais - contraceptivos orais (todas as pílulas - também as "comuns"), depo-provera (vacinas), norplantes (implantes), etc - não são somente anticoncepcionais, são também abortivos5. Estas horríveis realidades são desconhecidas porque são abafadas, são escondidas e até mesmo, cinicamente negadas, pois se viessem a ser amplamente conhecidas, isto prejudicaria os que se beneficiam dos lucros gigantescos da indústria anticoncepcional e do controle da natalidade em âmbito mundial.
"Está presente, no uso dos meios que têm um efeito abortivo, uma malícia moral muito grave e específica, que impede a implantação do embrião recém fecundado ou também causando a sua expulsão numa fase precoce da gravidez."6

A PATERNIDADE RESPONSÁVEL
A Igreja recomenda que os casais sejam generosos para com Deus-Criador, tendo numerosos filhos. “Estejam todos certos de que a vida dos homens e a missão de transmiti-la não se confinam ao tempo presente nem se podem medir ou entender por esse tempo apenas, mas que estão sempre relacionados com a destinação eterna dos homens.”7
Entretanto, “por razões justas, os esposos podem querer espaçar os nascimentos de seus filhos. Cabe-lhes verificar que seu desejo não provém do egoísmo mas está de acordo com a justa generosidade de uma paternidade responsável. Além disso regularão seu comportamento segundo critérios objetivos da moral”8.
“A continência periódica, os métodos de regulação da natalidade baseados na auto-observação e no recurso aos períodos infecundos estão de acordo com os critérios objetivos da moralidade. Estes métodos respeitam o corpo dos esposos, animam a ternura entre eles e favorecem a educação de uma liberdade autêntica.”9
Portanto, se houverem motivos graves para espaçar a gravidez (até mesmo por longo tempo ou por tempo indeterminado), somente através de métodos naturais, os casais poderão fazê-lo, nunca através de anticoncepcionais nem de meio algum que tire a fertilidade do ato sexual.
Os métodos naturais não fecham o ato sexual ao dom da vida, eles simplesmente se propõem a identificar os dias naturalmente férteis e inférteis do casal durante o ciclo menstrual. Se houverem relações somente durante os dias inférteis, a gravidez não ocorrerá.

O MÉTODO BILLINGS
É um método natural de regulação da fertilidade de grande eficiência que se baseia fundamentalmente na observação do muco cervical. O muco é uma substância produzida por glândulas do colo uterino e pode ser sentido (causando umidade) ou observado na vulva.
Quando o muco começa a aparecer ele é grosso, pegajoso, grumoso, consistente, muito pouco elástico e pode causar uma sensação pegajosa na vulva. Com o passar dos dias, o muco cervical vai tornando-se pouco a pouco mais líquido, até ficar liso, escorregadio e aquoso, semelhante à clara de ovo cru, podendo então ser distensível entre os dedos, formando filamentos finos e compridos. Neste período, o muco causa uma sensação de umidade e lubrificação na vulva podendo ser uma sensação de umidade semelhante àquela provocada pela descida da menstruação. Em seguida há uma mudança brusca e o muco assume novamente uma consistência sólida ou desaparece e a sensação na vulva volta a ser de secura. O último dia da sensação úmida e de muco semelhante à clara de ovo cru, é chamado de dia ápice de fertilidade. O ápice somente pode ser identificado no dia seguinte, quando ocorre a variação brusca no padrão de muco e a umidade desaparece, indicando assim que o dia anterior foi o ápice. Nem sempre o dia ápice é o dia em que ocorre o maior escoamento de muco, mas é o último dia de sensação de umidade.
"sensação. - O muco produz uma sensação na pele fora da vagina [vulva]. Esta é a observação mais importante.
Durante suas atividades normais no corre-corre diário, você pode reconhecer uma sensação de umidade, de viscosidade ou de nada (secura).
Uma quantidade mínima de muco, ainda não visível, pode mudar a sensação de seca até não-seca, pegajosa, apenas úmida, escorregadia ou muito úmida. Algumas mulheres ficarão desanimadas se esperam ver muco que se parece com a clara de ovo cru e que é distensível sem se romper.
Aparência. - Quando você sentir a presença de  muco, você deve reparar na aparência dele. Cada mulher tem sua maneira própria para fazer isso. Algumas passam um pedaço de papel higiênico na abertura vaginal antes de urinar. Uma mulher aprende assim a valiar suas observações pessoais.
Se existe muco suficiente para ver e recolher, ele deve ser observado com atenção quanto à sua clareza, distensibilidade, mudanças na cor (por exemplo, pode ser até manchado com sangue), ou notando se é pegajoso, com grumos ou com mudanças na quantidade.
O muco altamente fértil tem uma fluidez que permite distendê-lo facilmente e que assegura a presença fora da vagina logo depois de sua produção no colo uterino. Você não tem que examinar dentro da vagina. Confusão pode resultar de proceder assim, porque lá é sempre úmido."10
Regras para evitar a gravidez:
1. durante os dias de menstruação o método recomenda abstinência. Isto porque o muco pode estar presente embora não seja sentido nem observado devido à menstruação.
2. Após a menstruação, se houver período de secura na vulva e ausência do muco cervical, a noite do primeiro dia estará livre para o coito. No dia seguinte à menstruação não se poderá fazer uma análise segura do muco porque as secreções vaginais provocadas pelo coito, juntamente com o sêmen ejaculado, podem confundir a observação, por isso, no dia seguinte ao coito, aconselha-se guardar abstinência. Se no segundo dia após o coito houver novamente secura e ausência de muco, a noite estará novamente disponível, e assim sucessivamente, em noites alternadas enquanto houver secura e ausência de muco no segundo dia após uma relação sexual. Nesta fase as relações conjugais poderão ser feitas de noite, antes de dormir, pois na manhã seguinte a fertilidade poderá já ter voltado. Se o muco aparecer somente por um dia, aconselha-se manter abstinência neste dia e nos 3 dias consecutivos. Se após os três dias, voltar a secura sem que tenha ocorrido o dia ápice, então o casal poderá continuar mantendo a conduta das noites alternadas enquanto houver secura.
3. Se, porém, o muco continuar presente, aconselha-se a abstinência até três dias após o dia ápice. Depois disso, todos os dias (dias e noites) estarão disponíveis até o fim do ciclo. Porém, todos os três dias que sucedem o ápice devem ser de secura e com muco grosso e inelástico, ou ausente. Caso contrário, se num dos 3 dias houver muco liso e distensível, significa que o ápice ainda não ocorreu e que deve-se guardar abstinência ainda por mais três dias após o desaparecimento da umidade e do muco semelhante à clara de ovo cru.
Observações:
1- Se durante qualquer dia ocorrer algum sangramento não menstrual, deverá guardar-se abstinência neste dia e por mais três dias.
2- Em caso de stress grave, aconselha-se a abstinência. Aconselha-se fazer um registro diário das sensações causadas pelo muco e do padrão do muco, anotando a observação mais importante que ocorreu durante o dia (por exemplo umidade ou aparecimento de muco), registrando o dia em que ocorreu o ápice, os três dias consecutivos, etc.
3- Para começar a usar o método, é aconselhável 1 mês de abstinência para que a mulher possa reconhecer com precisão seus padrões de muco. Principalmente se era usuária de hormonais, pois eles alteram drasticamente os padrões e é necessário um tempo para que retornem as características naturais.
Em resumo: tipicamente, para evitar a gravidez, aconselha-se a abstinência durante a menstruação; se houver secura após a menstruação, noites alternadas de abstinência e relações sexuais; quando começam a aparecer os sinais de fertilidade (muco ou fim da sensação de secura na vulva), abstinência até 3 dias após o ápice; depois termina a abstinência.
Durante a amamentação, o método sofre algumas alterações.
1 João Paulo II, Evangelium Vitae
2 Conselho Pontifício para a Família.: Vademecum para os confessores sobre alguns temas da moral relacionados com a vida conjugal, ns. 4-5
3 cf. Catecisma da Igreja Católica, ns. 1859 - 1861
4 Catecisma da Igreja Católica, n. 1861
5 cf. Clowes, Brian; "Facts of Life" - Human Life International
6 Conselho Pontifício para a Família.: Vademecum para os confessores sobre alguns temas da moral relacionados com a vida conjugal, ns. 5-6
7 Catecismo da Igreja Católica, n. 2371
8 Catecismo da Igreja Católica, n. 2368
9 Catecismo da Igreja Católica, n. 2370
10 Billings, Eveling; "O Método Billings", ed. Paulus, 1993, pg. 37

Foto de bebê com cerca de 8 semanas de gestação (quase 2 meses)
           
O DOM DA VIDA
A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O(A). 

o grande mal da contracepção V

O MÉTODO BILLINGS
É um método natural de regulação da fertilidade de grande eficiência que se baseia fundamentalmente na observação do muco cervical. O muco é uma substância produzida por glândulas do colo uterino e pode ser sentido (causando umidade) ou observado na vulva.
Quando o muco começa a aparecer ele é grosso, pegajoso, grumoso, consistente, muito pouco elástico e pode causar uma sensação pegajosa na vulva. Com o passar dos dias, o muco cervical vai tornando-se pouco a pouco mais líquido, até ficar liso, escorregadio e aquoso, semelhante à clara de ovo cru, podendo então ser distensível entre os dedos, formando filamentos finos e compridos. Neste período, o muco causa uma sensação de umidade e lubrificação na vulva podendo ser uma sensação de umidade semelhante àquela provocada pela descida da menstruação. Em seguida há uma mudança brusca e o muco assume novamente uma consistência sólida ou desaparece e a sensação na vulva volta a ser de secura. O último dia da sensação úmida e de muco semelhante à clara de ovo cru, é chamado de dia ápice de fertilidade. O ápice somente pode ser identificado no dia seguinte, quando ocorre a variação brusca no padrão de muco e a umidade desaparece, indicando assim que o dia anterior foi o ápice. Nem sempre o dia ápice é o dia em que ocorre o maior escoamento de muco, mas é o último dia de sensação de umidade.
"sensação. - O muco produz uma sensação na pele fora da vagina [vulva]. Esta é a observação mais importante.
Durante suas atividades normais no corre-corre diário, você pode reconhecer uma sensação de umidade, de viscosidade ou de nada (secura).
Uma quantidade mínima de muco, ainda não visível, pode mudar a sensação de seca até não-seca, pegajosa, apenas úmida, escorregadia ou muito úmida. Algumas mulheres ficarão desanimadas se esperam ver muco que se parece com a clara de ovo cru e que é distensível sem se romper.
Aparência. - Quando você sentir a presença de  muco, você deve reparar na aparência dele. Cada mulher tem sua maneira própria para fazer isso. Algumas passam um pedaço de papel higiênico na abertura vaginal antes de urinar. Uma mulher aprende assim a valiar suas observações pessoais.
Se existe muco suficiente para ver e recolher, ele deve ser observado com atenção quanto à sua clareza, distensibilidade, mudanças na cor (por exemplo, pode ser até manchado com sangue), ou notando se é pegajoso, com grumos ou com mudanças na quantidade.
O muco altamente fértil tem uma fluidez que permite distendê-lo facilmente e que assegura a presença fora da vagina logo depois de sua produção no colo uterino. Você não tem que examinar dentro da vagina. Confusão pode resultar de proceder assim, porque lá é sempre úmido."*
Regras para evitar a gravidez:
1. durante os dias de menstruação o método recomenda abstinência. Isto porque o muco pode estar presente embora não seja sentido nem observado devido à menstruação.
2. Após a menstruação, se houver período de secura na vulva e ausência do muco cervical, a noite do primeiro dia estará livre para o coito. No dia seguinte à menstruação não se poderá fazer uma análise segura do muco porque as secreções vaginais provocadas pelo coito, juntamente com o sêmen ejaculado, podem confundir a observação, por isso, no dia seguinte ao coito, aconselha-se guardar abstinência. Se no segundo dia após o coito houver novamente secura e ausência de muco, a noite estará novamente disponível, e assim sucessivamente, em noites alternadas enquanto houver secura e ausência de muco no segundo dia após uma relação sexual. Nesta fase as relações conjugais poderão ser feitas de noite, antes de dormir, pois na manhã seguinte a fertilidade poderá já ter voltado. Se o muco aparecer somente por um dia, aconselha-se manter abstinência neste dia e nos 3 dias consecutivos. Se após os três dias, voltar a secura sem que tenha ocorrido o dia ápice, então o casal poderá continuar mantendo a conduta das noites alternadas enquanto houver secura.
3. Se, porém, o muco continuar presente, aconselha-se a abstinência até três dias após o dia ápice. Depois disso, todos os dias (dias e noites) estarão disponíveis até o fim do ciclo. Porém, todos os três dias que sucedem o ápice devem ser de secura e com muco grosso e inelástico, ou ausente. Caso contrário, se num dos 3 dias houver muco liso e distensível, significa que o ápice ainda não ocorreu e que deve-se guardar abstinência ainda por mais três dias após o desaparecimento da umidade e do muco semelhante à clara de ovo cru.
Observações:
1- Se durante qualquer dia ocorrer algum sangramento não menstrual, deverá guardar-se abstinência neste dia e por mais três dias.
2- Em caso de stress grave, aconselha-se a abstinência. Aconselha-se fazer um registro diário das sensações causadas pelo muco e do padrão do muco, anotando a observação mais importante que ocorreu durante o dia (por exemplo umidade ou aparecimento de muco), registrando o dia em que ocorreu o ápice, os três dias consecutivos, etc.
3- Para começar a usar o método, é aconselhável 1 mês de abstinência para que a mulher possa reconhecer com precisão seus padrões de muco. Principalmente se era usuária de hormonais, pois eles alteram drasticamente os padrões e é necessário um tempo para que retornem as características naturais.
Em resumo: tipicamente, para evitar a gravidez, aconselha-se a abstinência durante a menstruação; se houver secura após a menstruação, noites alternadas de abstinência e relações sexuais; quando começam a aparecer os sinais de fertilidade (muco ou fim da sensação de secura na vulva), abstinência até 3 dias após o ápice; depois termina a abstinência.
Durante a amamentação, o método sofre algumas alterações.
*Billings, Eveling; "O Método Billings", ed. Paulus, 1993, pg. 37
Foto de bebê com cerca de 8 semanas de gestação (quase 2 meses)
           
O DOM DA VIDA
A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O(A). 

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Santa Miriam de Jesus Crucificado

SANTA MIRIAM DE JESUS CRUCIFICADO (canonizada em 17/5/2015)

A “pequena árabe” Miriam de Jesus Crucificado foi agraciada por numerosos fenômenos místicos, humanamente inexplicáveis, mas bem documentados.
Jorge Baouardy e Maria Chayin, seus pais, após terem 12 filhos homens que morreram ainda bebês, peregrinaram a Belém para pedir a Nossa Senhora uma menina, prometendo dar-lhe, em gratidão o nome de Maria (Mariam, ou Miriam). Voltaram a pé, caminhando outros 170 km até Abellin, onde no dia 5 de janeiro de 1846 nasceu MIRIAM, na Galiléia, Israel.

Depois nasceu ainda outro filho, o Paulo.
Ainda pequenina, Miriam, ganhou uns passarinhos e após banhá-los, acabaram morrendo. Ela então, foi enterrá-los e ouviu uma voz: “TUDO PASSA! SE ME DERES TEU CORAÇÃO, FICAREI SEMPRE CONTIGO.”
Quando Miriam tinha apenas 3 anos seu pai adoeceu gravemente e sentindo chegar o fim de sua vida, diante de um quadro de São José, orou: "Grande santo, aqui está a minha filha. Nossa Senhora é sua Mãe, olhe também por ela, sirva-lhe de pai, você que cuidou tão bem do Menino Jesus."
Em seguida olhou para o quadro de Nossa Senhora e falou com fervor espiritual: "Querida Senhora e Mãe Maria, já que a Senhora nos ouviu em Belém e nos deu esta filhinha, com o mesmo nome da Senhora, quero consagrá-la inteiramente ao seu maternal Coração". Alguns dias depois faleceu. Logo depois faleceu também a mãe e o tio paterno de Miriam a adotou. Paulo, com apenas 1 ano foi adotado pela tia materna e Miriam nunca mais o viu.
Com cinco anos já jejuava todos os sábados em honra a Nossa Senhora. Desde os 7 anos a cada sábado se confessava e suplicava que o padre a deixasse comungar, embora não tivesse a idade exigida. Meses depois o sacerdote o permite. Ela, então, radiante de felicidade comunga o corpo e o sangue de Cristo e vê Jesus entregando-se a ela sob a aparência de um lindíssimo menino.
Chegando aos 13 anos, conforme costume daqueles tempos no oriente, os pais decidiam o casamento dos filhos com autoridade radical.
Miriam recebe a notícia que foi prometida em casamento ao irmão de sua tia. Quando ela recebe a data do casamento fica apavorada. De seu coração sobe a voz ouvida outrora no jardim de Abellin: “TUDO PASSA! SE ME DERES TEU CORAÇÃO, FICAREI SEMPRE CONTIGO.” Miriam passa a noite em oração diante da imagem da Virgem Santíssima. Ao cochilar, escuta um murmúrio: “MIRIAM, EU ESTOU CONTIGO; faze o que EU TE INSPIRAR, EU TE AJUDAREI”. Sem hesitar, ela corta suas longas tranças de cabelos e os mistura com as jóias recebidas do noivo e dos parentes.

O tio a esbofeteou e a chicoteou e como castigo colocou-a na cozinha, tendo que obedecer às escravas. Entretanto no coração de Miriam havia alegria, chegando a dizer mais tarde aludindo a este fato: "um passarinho parecia cantar dentro do meu peito"

Na noite de sete para oito de setembro de 1858, diante de um muçulmano que queria fazê-la maometana, professa em alta voz: “Eu, muçulmana? Jamais! Sou filha da Igreja Católica, apostólica e romana e espero, com a graça de Deus, perseverar até à morte na minha religião, a única verdadeira”.
Com um golpe de cimitarra, o islamita cortou-lhe o pescoço, e jogou seu corpo numa ruela deserta.
Miriam revelou que morreu realmente e viu o trono da Santíssima Trindade, Cristo em sua humanidade, Nossa Senhora, São José, anjos e santos e seus pais. Então alguém disse-lhe: você é virgem, sim, mas o seu livro não está acabado. Desfeita a visão, encontra-se dentro duma caverna com uma freira de azul, que lhe sorria e lhe conta como a trouxe da ruela e costurou seu pescoço. Seu sorriso era cativante e seu hábito e véu de cor azul celeste. Miriam sentiu um bem estar tão grande, que esqueceu todos os maus tratos recebidos.
A freira cuidou dela como verdadeira mãe, durante quatro semanas, dentro da caverna e ela sarou. Depois Miriam percebeu que a religiosa era Nossa Senhora.
Mais tarde, já como religiosa, quando os médicos examinaram sua traquéia vazia em certos anéis do pescoço, não compreenderam como pudesse estar viva e como pudesse ainda falar, faltando dentro da garganta algumas partes essenciais.
Em Marselha, um médico ateu confessou, ao examinar seu pescoço cicatrizado: "É impossível viver neste estado e ainda ter voz." E concluiu: "Deve existir Deus."
Após sua cura, Miriam começa a trabalhar como empregada doméstica. Durante uma comunhão, é levada em êxtase ao Céu, ao inferno e ao purgatório e recebe a ordem de jejuar a pão e água durante um ano, em expiação aos pecados de gula praticados no mundo e de se vestir pobremente para expiar as faltas de pudor e excessos de luxo.
Algumas vezes era seguida por um senhor com uma criança no colo que lhe disse sorrindo: “Sei que entrará no convento. Vou acompanhar até chegar lá.” Miriam não teve dúvida de que era São José.
Torna-se carmelita, assumindo o nome de irmã Miriam de Jesus Crucificado. Assim como santa Clara, vê acontecimentos à distância. De dentro do Carmelo vê o fuzilamento dos reféns da comuna em Paris, via Pio IX, viu o conclave que elegeu Leão XIII... . Possuía também o fenômeno da bilocação.
Em agosto de 1866, rezando na capela, viu no sacrário Jesus com as cinco chagas e a coroa de espinhos. Ouviu Jesus dizer à sua Mãe prostrada diante dele: “Como ofendem o meu Pai”. Miriam então, coloca a mão na chaga do lado e diz: “Meu Deus, por favor, passai para mim esse sofrimento, mas tende piedade dos pecadores.” Miriam começa a apresentar também os sinais dos estigmas.
Miriam previu ainda que Jesus permitiria que durante 40 dias satanás a atormentasse e tivesse poder sobre seu corpo mas sua alma ficaria resguardada. Entrou nela uma legião de demônios. Queriam arrancar-lhe o grito: “Senhor, chega de sofrer!” Eles a torturam tentando arrancar-lhe a palavra “estou sofrendo”, porém, Miriam, longe de reclamar, diz: “Ofereço o meu sofrimento a Jesus e estou disposta a suportar o que ele quiser, com prazer e amor. Sede louvado, meu Deus!”. Terríveis contorsões a levantam e a tornam rígida e diz: “Só poderei dizer que amo Jesus, mesmo que o meu corpo seja trucidado, moído como farinha. Foi Deus quem nos deu o corpo, sacrifiquemo-lo por ele”. Preferia antes morrer nas garras do demônio a que se afastar de Cristo.
40 dias depois da primeira possessão diabólica o seu rosto desfigurado pelos sofrimentos repentinamente se transfigura num semblante radiante e angelical, Miriam é então agraciada por 4 dias de possessão angélica. As freiras queriam ficar ao lado da irmã, mas o anjo através dela diz: “Cordeirinhos, Nossa Senhora conhece o seu desejo de ficar junto do pequeno nada, mas ela quer que cada qual vá cuidar de seus afazeres; ela ficará com vocês. Poderão voltar à hora do recreio, uma vez que a regra o permite.” Perguntado quem era o anjo disse: “Sou um dos que sobem e descem”, “sou o anjo de Maria”.
Exclamações de santa Miriam:
- Durante êxtase: “Deus instala sua morada na alma simples e humilde. Entre Jesus e o orgulhoso está um bloco de rocha. Entre Jesus e a alma humilde apenas existe uma cortina transparente. A alma humilde já está no céu e se alegra do mesmo modo como na terra e no céu. O humilde é mais agradável a Jesus e consolador, do que a chuva prolongada em uma terra ressequida.”
- Em êxtase exclamou triunfalmente: "Como é linda a família do céu. Lá tenho o Pai do Céu, nosso Irmão Jesus, o Espírito Santo, amor pessoal do Pai e do Filho, minha Mãe, meu papai José, todos à minha espera. O padrinho profeta Elias está acenando. A querida Teresa de Jesus já está me chamando. Como é celestial viver o espírito de família na terra, que é o ensaio da vida familiar no céu. Somos imagens de Deus família. É o único instinto de cada criatura humana".
- “Se me querem encontrar depois da morte ...comunguem.”
De fato, a comunhão com Jesus realiza a comunhão dos santos.
Na hora da morte, dia 26 de agosto de 1878, sugeriram-lhe a invocação: meu Jesus, misericórdia! Ela disse: ”Oh, sim, misericórdia!” Fizeram-lhe beijar o crucifixo, deram-lhe a última absolvição e ela entregou sua alma ao Criador, com um sorriso celestial.
Ainda após a morte outro sinal extraordinário que confirmou o nome que ela assumiu: seus braços se abriram em forma de cruz! Foi preciso a prioresa dar ordens em nome da obediência para que pudessem colocar a tampa do caixão. Obedeceu até depois de morta.


Bibliografia: “Mariam a carismática” – Pe. Amedee Brunot, Ed. Loyola; “O Nadinha da Pequena Arabe”- Pe. Afonso de Santa Cruz

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Falou pouco mas disse muito

Ao dar carona após a missa para uma irmã religiosa meu pai observou: "a irmã Geraldina sempre com um sorriso no rosto!" e ela imediatamente respondeu: "claro, nós que temos Deus somos alegres!", e continuou com entusiasmo e doçura: "Pois se Jesus foi tão bom para conosco e MORREU NA CRUZ PARA NOS DAR O CÉU! Por que é que eu vou ficar triste?"


Foto de bebê com cerca de 8 semanas de gestação (quase 2 meses)
           
O DOM DA VIDA
A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O(A). 

sexta-feira, 27 de março de 2015

TRANSMISSAO DA VIDA

Dom da vida e sua transmissão.

"Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher"(gn 1,27). Deus criou a cada pessoa humana sem exceção com imenso amor desde o primeiro instante da concepção. Ele é quem dá a vida por excelência, nós devemos ser simplesmente fiéis colaboradores dele na missão de transmitir a vida.
Vendo-nos maculados pelo pecado não nos abandonou ao poder da morte mas "aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo e assemelhado-se aos homens. E, sendo exteriormente reconhecido como homem, humilhou-se ainda mais, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz."(fl2,7-8); tudo isso para merecer-nos a vida eterna, a nós que por nós mesmos não merecíamos nem sequer a mansão dos mortos, o hades!
É precisamente esta vida eterna que "ultrapassa toda expectativa humana"1 que devemos ter em mente ao colaborar com Deus na transmissão da vida humana.2 Não devemos portanto pensar simplesmente nos gastos que um filho nos custaria. A Igreja ensina-nos que os cônjuges podem recorrer aos métodos naturais de regulação da fertilidade somente se houverem motivos justos e graves para tentar evitar a concepção. 
Quanto ao uso de anticoncepcionais sabemos que é ilícito por destituir o ato conjugal de sua finalidade procriativa desobedecendo assim a ordem do Senhor: "sede férteis". Além disso os contraceptivos de emergência (pílula do dia seguinte) e os dius são essencialmente abortivos. Também as pílulas comuns e os outros hormonais frequentemente permitem a concepção e causam abortos imperceptíveis na primeira ou segunda semana de vida do ser humano concebido sem que a mulher saiba que concebeu e que abortou.
Quanto às práticas de inseminação artificial e fertilização in vitro também não podem ser aceitas por dissociarem o ato sexual do ato procriador 3. Além disso, geralmente os médicos provocam a concepção de vários seres humanos, escolhem alguns deles para introduzi-los na genitália feminina na esperança de que pelo menos um deles vingue e congelam ou jogam fora os outros.
Por parte dos homens a vida muitas vezes é transmitida de forma pecaminosa, isto porém não denigre seu valor intrínseco. Tenha ela provindo de miséria extrema, fertilização artificial, fornicação, adultério, estupro, casamento, seja   deficiente ou não,"planejada" ou não, a vida é sempre um bem, é sagrada e tem valor incomensurável, pois foi amada por Deus e Cristo derramou seu sangue por ela e o embrião é sempre inocente 4.

Deus, de sua parte fez "tudo muito bom"; cabe-nos agora amar e proteger a vida, arrependermo-nos de nossos pecados e buscar a Misericórdia Divina, assim escaparemos da morte eterna no inferno e teremos a vida em plenitude que Cristo nos mereceu.
Como é bom e simples respeitar a lei natural, a castidade, a fertilidade e a fidelidade matrimonial. Nisto consiste a paternidade responsável, tão rara atualmente.

1 cf. Catecismo da Igreja Católica 1722 e 1028
2 cf. Gaudium et spes 51,4
3 cf. Catecismo da Igreja Católica 2377

4 cf. Evangelho da vida. João Paulo II.

Foto de bebê com cerca de 8 semanas de gestação (quase 2 meses)
           
O DOM DA VIDA
A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O(A). 

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O grande mal da contracepção IV

A PATERNIDADE RESPONSÁVEL
            A Igreja recomenda que os casais sejam generosos para com Deus-Criador, tendo numerosos filhos. “Estejam todos certos de que a vida dos homens e a missão de transmiti-la não se confinam ao tempo presente nem se podem medir ou entender por esse tempo apenas, mas que estão sempre relacionados com a destinação eterna dos homens.7
            Entretanto, “por razões justas, os esposos podem querer espaçar os nascimentos de seus filhos. Cabe-lhes verificar que seu desejo não provém do egoísmo mas está de acordo com a justa generosidade de uma paternidade responsável. Além disso regularão seu comportamento segundo critérios objetivos da moral8.
            “A continência periódica, os métodos de regulação da natalidade baseados na auto-observação e no recurso aos períodos infecundos estão de acordo com os critérios objetivos da moralidade. Estes métodos respeitam o corpo dos esposos, animam a ternura entre eles e favorecem a educação de uma liberdade autêntica.9
            Portanto, se houverem motivos graves para espaçar a gravidez (até mesmo por longo tempo ou por tempo indeterminado), somente através de métodos naturais, os casais poderão fazê-lo, nunca através de anticoncepcionais nem de meio algum que tire a fertilidade do ato sexual.
            Os métodos naturais não fecham o ato sexual ao dom da vida, eles simplesmente se propõem a identificar os dias naturalmente férteis e inférteis do casal durante o ciclo menstrual. Se houverem relações somente durante os dias inférteis, a gravidez não ocorrerá.
7 Catecismo da Igreja Católica, n. 2371
8 Catecismo da Igreja Católica, n. 2368

9 Catecismo da Igreja Católica, n. 2370

Foto de bebê com cerca de 8 semanas de gestação (quase 2 meses)
           
O DOM DA VIDA
A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O(A). 

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

O GRANDE MAL DA CONTRACEPÇÃO III

A CONTRACEPÇÃO
E quando, por exemplo, eles se unem (mesmo que tenham assumido o compromisso matrimonial) mas fecham o ato sexual ao dom da vida, usando anticoncepcionais ou outros meios contraceptivos (esterilizações, etc.), já não estão mais sendo servos fiéis e nem colaboradores de Deus na transmissão da vida, mas passam a ser "árbitros dos planos divinos", julgando-se (mesmo que não percebam isso) os únicos responsáveis pela vida e com o direito de evitar filhos "a todo custo", até mesmo destituindo o ato sexual de sua finalidade procriativa, esquecendo-se assim de que Deus é quem é o Senhor da vida!
Se de fato cremos que a vida é sempre dada por Deus, devemos reconhecer que, pelo fato de os meios contraceptivos fecharem o ato sexual à transmissão da vida, podem deste modo, estar impedindo a concepção ou o nascimento de um filho(a) que Deus quisesse dar ao casal! Somos chamados a aceitar, não a recusar ou evitar os filhos que Deus quiser nos confiar!
Deus ordenou por mais de uma vez: "sede fecundos", mas desta forma estão sendo infecundos! Estão "enterrando" o grande "talento" da fertilidade!
Quando o ato sexual é dissociado de suas finalidades unitiva e procriativa, ele tende a se tornar um ato egoísta e hedonista.
"A Igreja ensinou sempre a malícia intrínseca da contracepção, isto é, de todo o ato conjugal tornado, intencionalmente, infecundo. Deve reter-se este ensinamento como uma doutrina definitiva e irreformatável. A contracepção opõem-se gravemente à castidade matrimonial, é contrária ao bem da transmissão da vida (aspecto procriador do matrimônio) e à doação recíproca dos cônjuges (aspecto unitivo do matrimônio), lesa o verdadeiro amor e nega a função soberana de Deus na transmissão da vida humana"2
A contracepção é portanto, um mal grave e, se a pessoa que a pratica tiver plena consciência da gravidade do ato e mesmo assim, deliberadamente o pratica, incorre então em um pecado mortal que acarretará a morte eterna no inferno se não houver arrependimento3. "No entanto, mesmo podendo julgar que um ato é em si falta grave, devemos confiar o julgamento sobre as pessoas à justiça e à misericórdia de Deus"4, pois somente Ele conhece o coração e a consciência de cada pessoa. Não devemos portanto, julgar ninguém pelo fato de praticar a contracepção e nem por qualquer outra atitude, pois o próprio Jesus disse: "Não julgueis e não sereis julgados; não condeneis e não sereis condenados; perdoai e sereis perdoados"(Lc6,37). Não devemos nunca julgar uma pessoa, mas devemos sim, mostrar a gravidade dos atos que ela cometeu, pois Jesus disse também: "se o teu irmão pecar, mostra-lhe o pecado entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho o teu irmão. Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas. Se recusa ouvi-los, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano"(Mt18,15-17). Quando a igreja denuncia a gravidade da contracepção, não quer julgar nem condenar ninguém, mas somente revelar o mal praticado a fim de que não seja mais cometido.
Existe ainda uma realidade ainda mais terrível, que poucas pessoas tem conhecimento: quase todos os anticoncepcionais não são somente anticoncepcionais, mas são também abortivos! Isto significa que freqüentemente eles não impedem a concepção, ou seja, o início da vida, porém geralmente causam a morte do ser humano concebido durante seus primeiros dias de sua vida. Como durante os primeiros dias o ser humano é muito pequeno, a mulher nem percebe que concebeu e nem tampouco que abortou. Muitas pessoas, mesmo sem ter conhecimento disso, estão causando a morte de seus próprios filhos devido ao uso de contraceptivos abortivos! Todos os dispositivos intra-uterinos (dius) e "contraceptivos de emergência" são essencialmente abortivos; todos os hormonais - contraceptivos orais (todas as pílulas - também as "comuns"), depo-provera (vacinas), norplantes (implantes), etc - não são somente anticoncepcionais, são também abortivos5. Estas horríveis realidades são desconhecidas porque são abafadas, são escondidas e até mesmo, cinicamente negadas, pois se viessem a ser amplamente conhecidas, isto prejudicaria os que se beneficiam dos lucros gigantescos da indústria anticoncepcional e do controle da natalidade em âmbito mundial.
"Está presente, no uso dos meios que têm um efeito abortivo, uma malícia moral muito grave e específica, que impede a implantação do embrião recém fecundado ou também causando a sua expulsão numa fase precoce da gravidez."6

2 Conselho Pontifício para a Família.: Vademecum para os confessores sobre alguns temas da moral relacionados com a vida conjugal, ns. 4-5
3 cf. Catecisma da Igreja Católica, ns. 1859 - 1861
4 Catecisma da Igreja Católica, n. 1861
5 cf. Clowes, Brian; "Facts of Life" - Human Life International
6 Conselho Pontifício para a Família.: Vademecum para os confessores sobre alguns temas da moral relacionados com a vida conjugal, ns. 5-6
Foto de bebê com cerca de 8 semanas de gestação (quase 2 meses)
           
O DOM DA VIDA
A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O(A). 

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

O grande mal da contracepção II

A TRANSMISSÃO DA VIDA
            Deus quis que o homem e a mulher participassem com Ele na missão de transmitir a vida, e para isso criou o ato sexual, ao qual conferiu duas finalidades: a unitiva – “o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher”(Gn2,24; Mt19,5) – e a procriativa – “sede fecundos, multiplicai-vos e enchei a terra”(Gn1,28; Gn9,1).
            Quando o homem e a mulher respeitam estas duas finalidades do ato conjugal, unindo-se não apenas fisicamente, mas também amorosamente e espiritualmente até que a morte os separe e aceitando todos os filhos que Deus lhes quiser confiar, surge assim uma família desejada e amada pelo Criador!
            Infelizmente, nem sempre o homem e a mulher são fiéis aos planos divinos! Muitas vezes eles deixam de respeitar as finalidades que Deus uniu ao ato sexual.

            Quando, por exemplo, eles se unem sem um compromisso de união fiel até a morte, estão destituindo o ato sexual da sua finalidade unitiva - “não separe o homem o que Deus uniu”(Mt19,6) – e desonrando uma coisa tão séria e maravilhosa que Deus criou para transmitir a vida e gerar uma família.
Foto de bebê com cerca de 8 semanas de gestação (quase 2 meses)
           
O DOM DA VIDA
A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O(A). 

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

LIVRO: "O GRANDE MAL DA CONTRACEPÇÃO"

Aos poucos postarei no blog o livro de minha autoria "O GRANDE MAL DA CONTRACEPÇÃO", obra que possui o "IMPRIMATUR" de Dom Pedro Fedalto.

O GRANDE MAL DA CONTRACEPÇÃO

DEDICATÓRIA
Ofereço este pequeníssimo livro a todos os que crêem que a vida é dada por Deus e o consagro a Deus-Criador.

O DOM DA VIDA
            “A vida é sempre um bem1 e é sempre dada por DEUS!
            Logo no início da Bíblia está escrito: “Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher”(Gn 1,27).
Jesus afirmou que nem um passarinho cai por terra sem o consentimento do PAI. Ora, se até mesmo a vida de uma ave depende do consentimento de Deus, quanto mais então, a vida humana!
Ninguém existe por acaso, mas sim por obra divina. Mesmo que uma pessoa tenha sido gerada sem desejo ou sem amor por parte dos pais, Deus consentiu em criá-la com incomensurável amor!
1 João Paulo II, Evangelium Vitae
Foto de bebê com cerca de 8 semanas de gestação (quase 2 meses)
           
O DOM DA VIDA
A vida humana começa no momento da concepção, momento sagrado em que Deus dá a vida a um novo ser humano.
Com apenas 18 dia após a concepção o pequeno ser humano já possui um coração bombeando sangue a todo seu frágil corpinho e um cérebro que começa a se especializar cada vez mais. com apenas 8 semanas (quase 2 meses), o bebê já possui todos os sistemas corporais funcionando, até mesmo impressões digitais. MÃE, SEU BEBEZINHO possui um coração, possui um cérebro, possui uma alma, tem sentimentos, emoções como qualquer outro bebê já nascido e é SEU FILHO(A), inocente e indefeso. MÃE, AME SEU FILHO(A) E PROTEJA-O(A).